Glaucoma tem cura? - Portal Vida e Saúde

Glaucoma tem cura?

By on 30 de dezembro de 2015

Caro Amigo,

Você já ouviu falar em glaucoma? Se ainda não ouviu é melhor você prestar bastante atenção.

Os olhos são um dos órgãos mais importantes para que você possa viver sua vida.

É, eu sei. Até aqui não é surpresa.

Por isso sou o Curioso.

Porque quero ir mais fundo… Do olho. 🙂

Apesar de muitas pessoas conseguirem viver de forma bastante independente, mesmo não tendo a visão, acredito que você não gostaria de perder a sua visão nem de ter problemas graves com ela, correto?

Pois bem, muitas doenças e deformidades podem atingir seus olhos e causar problemas de visão.

Alguns deles necessitam de cirurgia e ainda há aqueles que são apenas corrigidos com lentes de contato, por exemplo.

Este não é o caso do glaucoma, uma doença ocular que necessita de um tratamento constante e auxílio de um oftalmologista.

Mas afinal, o que é o glaucoma?

glaucoma tem cura

Para começar a definir glaucoma, é necessário deixar claro para você que esse é um termo genérico para diversas doenças que atingem o nervo óptico.

(do jeito nerd: Quando a doença atinge o nervo óptico, ocorre a perda de células ganglionares da retina de forma progressiva com um padrão bem característico de uma neuropatia ótica progressiva).

Ou seja, quando o glaucoma atinge o seu nervo óptico, ele danifica as fibras e desenvolve pontos cegos no seu campo visual.

Um dos fatores de risco mais significativos para o desenvolvimento do glaucoma é a pressão intraocular muito alta.

Existem pessoas que vivem muitos anos com uma pressão intraocular muito elevada, mas que não chegam a desenvolver o problema.

Já há outras que mesmo que o valor não seja tão alto já apresentam lesões no globo ocular e começam a aparecer os sintomas do glaucoma.

Essas lesões que estou falando são causadas pela compressão dos vasos sanguíneos que nutrem todas as estruturas visuais que ficam no fundo do olho.

Como as células dessa região são muito sensíveis, a falta de irrigação causa a sua morte.

Ou seja, se você não tratar piora.

Isso diminui o seu campo de visão e você pode ficar cego.

Como você consegue descobrir se tem o diagnóstico do glaucoma?

Faça consultas frequentes com um oftalmologista para descobrir se tem glaucoma.

O médico dos olhos vai fazer exames detalhados que vão medir a pressão intraocular que você apresenta.

E por fim o exame do fundo do olho que vai te mostrar o diagnóstico final.

Lembre-se de que o glaucoma se desenvolve lentamente pelo seu corpo.

Por isso você deve procurar um oftalmologista quando perceber os sintomas da doença e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Falando nos sintomas do glaucoma…

Os mais comuns que as pessoas que portam a doença apresentam são:

  • A necessidade de troca de grau dos óculos com uma maior frequência;
  • Muita dificuldade de adaptação entre ambientes claros e escuros;
  • Uma perda da visão lateral;
  • A visão se torna mais embaçada.

Em casos mais raros da doença, podem acontecer o aparecimento de halos ou arco-íris no entorno de emissores de luz.

Ou então uma grande frequência de cefaleias, as famosas dores de cabeça, ou então uma dor ocular bastante intensa.

Se você tem mais de 35 anos então é bom se cuidar ainda mais, porque pessoas com essa idade,em geral, desenvolvem glaucoma com maior frequência.

Existe também uma forma muito rara dessa doença que atinge crianças pequenas.

60 milhões de pessoas…

Segundo dados da Sociedade Nacional de Prevenção de Cegueira dos Estados Unidos, uma em cada 50 pessoas com mais de 35 anos possuem glaucoma.

Já em pessoas com mais de 65 anos a doença aparece em 3 a cada 100 habitantes desta faixa etária.

Para esses grupos de risco é importante realizar os exames de vista com mais regularidade sempre realizados por um médico oftalmologista credenciado.

No Brasil os dados são assustadores, porque primeiro temos o triste fato de que ⅓ dos brasileiros com mais de 16 anos nunca conheceu o médico dos olhos, segundo pesquisa feita pelo Ibope e encomendada pela Sociedade Brasileira do Glaucoma.

Depois existem dados de que o glaucoma conhecido como doença “silenciosa” atinge 2% dos brasileiros com mais de 40 anos, o que representa cerca de 1 milhão de pessoas.

De acordo com a (Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente, são registrados 2,4 milhões de novos casos de glaucoma resultando em 60 millhões de pessoas em todo o mundo.

“Ok, já sei que o glaucoma pode levar a cegueira se não for tratado. Mas, e agora qual é o tratamento? Glaucoma tem cura?”

o que é glaucoma

Primeiro você deve descobrir se alguém da sua família já teve, porque existem casos em que o glaucoma é hereditário.

Então avise a seus familiares para que façam um exame oftalmológico como prevenção.

Depois você tem três formas de tratar a doença: via colírio, via comprimidos e, em alguns casos mais extremos, há a necessidade de se realizar uma cirurgia.

Portanto, é sempre importante a prevenção, pois ela é a maior arma contra essa doença e suas possíveis consequências.

O glaucoma só pode ser controlado se o medicamento for utilizado com regularidade, por isso é importante utilizá-lo de acordo com as instruções do médico, nem mais nem menos.

Como tomar o medicamento?

Você deve comprimir o dedo indicador no ângulo interno do olho para evitar que o líquido passe pelo canal lacrimal e chegue ao nariz e a garganta.

Mantenha essa posição e os olhos levemente fechados por 3 ou 4 minutos para que o medicamento entre em contato com o olho pelo maior tempo possível.

Lembre-se de nunca usar medicamentos ou colírios sem aprovação do seu médico dos olhos.

Mas, afinal glaucoma tem cura?

A verdade é que o glaucoma é uma doença crônica e que não tem uma cura definida, mas pode ser controlado por meio de um tratamento adequado, contínuo e disciplinado.

Procure um oftalmologista e siga à risca as suas recomendações que você não vai mais ter dores de cabeça com o glaucoma.

Boa sorte e até a próxima!

O Curioso dos Olhos
Seu olho como você nunca viu.

About curiosodosolhos@portalvidasaude.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *